Youtube

Redação,Via Certa

renault

Na segunda-feira (13) a Renault negou rumores de que pretendia abandonar o mercado chinês. Agora a marca francesa anunciou que sua operação chinesa irá focar elétricos e utilitários. A marca deixará de oferecer veículos a gasolina e diesel com marca própria e investirá nos parceiros locais.

A parceria que existia com a Dongfeng, que também é acionista da PSA mundial, acaba e as ações da joint venture DRAC serão adquiridas pela Dongfeng. Assim, a DRAC deixa de produzir qualquer produto relacionado ao grupo Renault. Apesar disso, a Renault continuará licenciando a produção de motores a diesel para a Dongfeng.

O fim da joint venture, não significou o fim de parcerias. As duas empresas vão manter uma conexão no desenvolvimento de veículos conectados. A China é um dos países mais interessados em adotar tecnologias de carros autônomos e conectados para tentar reduzir congestionamentos nas grandes cidades.

Outro braço forte da Renault é a área de utilitários. E essa divisão continuará trabalhando na China. Nesse sentido, a parceria é com a Brillance Jinbei – empresa que também é a parceira da BMW no país asiático em operações. A joint venture, RBJAC, está usando a expertise da Renault para melhorar os produtos da montadora chinesa.

Carros elétricos é o foco da Renault na China

Além dos utilitários, a marca francesa está focada em oferecer uma linha de veículos elétricos por lá. O país, em 2019, vendeu mais de 850 mil veículos elétricos e incentiva o desenvolvimento e compra desses modelos. Isso porque a poluição, especialmente nas grandes cidades como Pequim, Xangai e Wuhan, por exemplo, é enorme devido ao tráfego e as fábricas.

Por isso, o Renault Kwid ganhou uma versão elétrica mostrada primeiro na China, o K-ZE. O modelo também será vendidos em outros mercados, como a Europa, e se tornou o elétrico mais barato da montadora francesa. Antes, a posição era do Zoe. Há o Twizy abaixo do Zoe, porém ele tem restrições de circulação devido ao projeto.

A versão europeia do K-ZE será vendida sob a marca de baixo custo da Renault, a Dacia. Dela saíram outros modelos que fazem sucesso no Brasil como Renault: Sandero, Logan e Duster. Além dele, para a China, a joint venture com a Nissan e a Dongfeng (JMEV), vai produzir outros quatro veículos elétricos até 2022.

Com informações Jornal do Carro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Importante:
a) Comentários ofensivos, preconceituosos ou que incitem violência não serão aceitos;
b) Comentários que não digam respeito ao tema da postagem poderão ser excluídos;
c) O comentário não representa a opinião do blog.

A responsabilidade é do autor da mensagem.

É necessário colocar seu NOME e E-MAIL ao fazer um comentário.

Bottom Ad [Post Page]

468x60 - Americanas